Pesquisas

Em torno da mobilidade: rumo ao futuro


Em torno da mobilidade é um projecto de estudo e investigação dedicado ao presente e ao futuro da mobilidade, tem a duração de seis meses, ainda em curso optou por se destacar no sector ao colocar o fator humano. Um "movimento" não é novo para o Fundação Giannino Bassetti que, junto com CONHEÇER, criado Around Mobility graças também ao apoio de Repower e de Politecnico di Milano.

Em torno da mobilidade: o que é

Sempre que nos deparamos com um grande progresso tecnológico por um lado, estamos cientes da oportunidade que esta etapa nos oferece. O de melhorar a nossa qualidade de vida, prolongando-a, por exemplo, e sempre há quem também ache que pode ficar mais rico e poderoso. Ao mesmo tempo, o progresso nos preenche com responsabilidade porque junto com as oportunidades existem também riscos, luzes e sombras, indissociáveis, e só quem joga o jogo é capaz de garantir que novas descobertas tecnológicas sejam usado de forma positiva e responsável.

É justamente nessa coexistência de oportunidade e responsabilidade que ela se encaixa Em torno da mobilidade, porque diante das tantas inovações que animaram o setor nos últimos anos, é importante pensar “em torno da mobilidade”, juntos. Aproveite o tempo para fazer isso, seis meses, envolvendo também as pessoas, a cidade, o território, e não se fechar numa torre de marfim para refletir e delirar.

o carro autônomo são talvez a novidade mais “disruptiva” que tem tido maior cobertura mediática, na mobilidade, mas são muitas outras que têm forte impacto na logística, nos transportes, na organização da cidade e também nas nossas agendas.

Em torno da mobilidade, portanto, parece uma jornada em etapas Cheios de ideias e conhecimentos, graças ao envolvimento de especialistas em mobilidade internacional, inovadores, decisores políticos, operadores do sector dos transportes e qualquer pessoa que queira partilhar uma nova ideia de mobilidade.

Em torno da mobilidade: objetivo

O objetivo desta iniciativa é muito claro e concreto. Até agora falamos sobre progresso, responsabilidade e riscos, em geral, mas de fato Around Mobilty nasceu para abrir a discussão e imaginar cenários, para não dizer “chegamos tarde demais” e sim pensar imediatamente, e juntos, o caminho dos próximos anos. Na mobilidade, mas não só, antecipando as necessidades que a nova mobilidade trará a nível económico, social e mesmo geopolítico. Ao promover um amplo debate entre vários Espaços culturais milaneses, este projeto visa dotar os cidadãos de ferramentas e conhecimentos para agirem de forma consciente e responsável.

Em torno da mobilidade e antropologia

Com o primeiro encontro, organizado em março passado, oaspecto antropológico mobilidade graças a Georges Amar, engenheiro de formação, professor de design e inovação na École de Mines ParisTech e autor do livro Homo Mobilis.

Amar analisou o conceito de mobilidade, distinguindo-o imediatamente do transporte e ligando-o à organização da nossa empresa. Se pararmos e pensarmos por um momento sobre nossa ideia de espaço e tempo, até recentemente ligávamos uma determinada atividade a um determinado lugar. Você estuda na escola, trabalha no escritório, faz esporte na academia ... Hoje não é mais, você também trabalha no bar ou no trem, você também pratica esporte em alguns escritórios ou em casa, você também estude no parque, se você se concentrar melhor. Amar falou de "Vida móvel", de um novo paradigma que nos leva a revolucionar a organização social do espaço e a transformar a cidade num sistema de movimentos e não mais de lugares "estáticos".

Assim, nosso modo de vida muda e somos confrontados à oportunidade e responsabilidade de decidir qual mobilidade queremos para o futuro. Nossa escolha trará novos valores que resultarão em novas lógicas e, muito provavelmente, novos conflitos para gerenciar.

Amar, dirigindo-se ao público, durante o encontro, de facto perguntou “em que direcção queremos ir se pensarmos no futuro da mobilidade? Queremos "mais" e queremos uma mobilidade mais rápida, que nos permite, por exemplo, ir mais longe, talvez para outros planetas? Ou queremos “menos”, assim como queremos que a comida seja lenta, por exemplo? Ou talvez existam outras possibilidades - além do “mais” e do “menos” - e já é hora de imaginar algo diferente? ”. Todos nós somos chamados a responder.

Em torno da mobilidade entre ciência, tecnologia e arte

A próxima etapa desta jornada está planejada no dia 9 de maio, às 19h30, no Auditório Testori no Palazzo Lombardia (Milão). O convidado será Ryan Janzen, um cientista, engenheiro e artista canadense que consegue fundir ciência, tecnologia e arte. Ele também é cofundador e CTO da TransPod, empresa que projeta veículos de ultra-alta velocidade capazes de transportar passageiros e mercadorias conectando comunidades distantes, com menor dependência de combustíveis fósseis.

Se você gostou desse artigo continue me seguindo também no Twitter, Facebook e Instagram


Vídeo: Análise da Rumo RAIL3 (Novembro 2021).