Pesquisas

Ferrovias esquecidas: antigas trilhas e estradas de amanhã


A Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados aguarda tramitação de Projeto de Lei, seu número é 1.640, que visa estimular a criação de uma rede de mobilidade soft em âmbito nacional incluindo ferrovias esquecidas, as estradas de aterro, os troncos abandonados, as ruas antigas e históricas e os caminhos costeiros. Por que esse projeto? Porque esta rede de caminhos - que são os vestígios de antigas relações - representa um património que, ainda mais em tempos de crise, é chegado o momento de aproveitar.

A proposta está em vigor desde setembro de 2013 por iniciativa da Confederação da Doce Mobilidade (Co.Mo.Do) que organizou o 7º Dia Nacional da Esqueça as ferrovias, e as numerosas associações vizinhas: Legambiente, Italia Nostra, Federação Italiana dos Amigos da Bicicleta, Clube Alpino Italiano, Clube Italiano de Turismo, WWF, Federação de Ferrovias Turísticas e de Museus, Associação Italiana de Vias Verdes, Associação de Usuários de Transporte Público, lubilantes / Francigeni Way Rede.

Mobilidade suave não é apenas caminho-de-ferro, mas estamos a falar disso na véspera da conferência nacional de Siena (28 de fevereiro) intitulada “Os caminhos-de-ferro das maravilhas: ontem, hoje e amanhã”. Uma conferência que é o prelúdio para Dia das Ferrovias Esquecidas que também este ano Co.Mo.Do organizou em colaboração com o patrocínio da Comissão Europeia, o Ministério do Meio Ambiente para a Proteção do Território e do Mar, a Fundação FS Italiane e sete regiões e províncias.

Como será o evento? A fórmula comprovada prevê a colaboração coral de todas as associações ligadas ao Co.Mo.Do. - 137 estão envolvidos este ano - que em seus respectivos territórios se comprometeram no domingo, 2 de março, a organizar caminhadas, passeios a cavalo, passeios de bicicleta ou a bordo de trens históricos especiais ao longo dos ramos desativados de ferrovias esquecidas.

Entre outras, a iniciativa na Sardenha onde, por ocasião do Dia das Ferrovias Esquecidas o Trenino Verde partirá com as origens de Mandas com destino ao Sarcidano, local onde outrora se originou a linha férrea FCS, que depois foi desmantelada e transformada em 'estrada verde'.



Vídeo: A ANTIGA FROTA DE LOCOMOTIVAS DA FEPASA - DADOS COMPUTADOS POR ELA MESMA (Dezembro 2021).